Saiba como os hackers agem na internet e previna-se

Desenvolvedora de softwares de segurança chamou atenção para alguns pontos e apontou práticas dessas pessoas ao roubar cartõe

Publicado em 18/10/2016

Dados cada vez mais assustadores dão conta de como o Brasil é vulnerável no mundo cibernético, estando sempre entre os líderes nos rankings de crimes virtuais. Os grupos de hackers e aproveitadores responsáveis por tais atos têm uma maneira pouco conhecida de agir, ficando muitas vezes difícil se proteger contra invasões. A desenvolvedora de softwares de segurança, FireEye, alertou os internautas sobre algumas das práticas adotadas pelos criminosos.

A prevenção pode ser feita acima de tudo com softwares confiáveis de antivírus e cuidado na visita a sites e no recebimento de documentos e e-mails suspeitos. Fazendo o básico, fica mais fácil se prevenir.

Parece tão fácil para eles...

Como os roubos e outros crimes podem ocorrer de múltiplas maneiras, é difícil estar atento a tudo, ainda mais quando os autores limpam todos os vestígios em seus ataques. Até que você perceba o buraco feito na sua conta bancária, muito já terá sido feito pelos invasores, já que o histórico, senhas e acessos são todos apagados, assim como cookies de sites e outros vestígios.

Outra estratégia usada por eles para faturar é a venda de informações pessoais e financeiras em redes sociais e fóruns espalhados pela web. Muita gente paga hackers para fazer o trabalho sujo e então pode usufruir da conta e dos cartões até que a fraude seja detectada, mas aí o estrago já estará feito. Ao acessar a conta ou roubar números e códigos dos cartões, fica fácil requisitar um novo cartão e fazer por conta própria seu desbloqueio, afinal, já haverá posse completa dos dados do real cliente.

Cuidado sempre!

É preciso estar atento ao passar o cartão nas máquinas e até no manuseio dele por parte dos estabelecimentos, mas a ameaça constante e invisível dos hackers é algo mais difícil de combater. O que nos resta é possuir bons hábitos na internet e priorizar a segurança.

Foto: Divulgação